Compartilhar

  • Compartilhar através do Facebook
  • Compartilhar através do Twitter
  • Compartilhar através do Linkedin
  • Compartilhar através de Email

PERFIL E HISTÓRICO

Perfil

A B3 S.A. – Brasil, Bolsa, Balcão é uma das maiores empresas provedoras de infraestrutura para o mercado financeiro do mundo em valor de mercado, oferecendo serviços de negociação (bolsa), pós-negociação (clearing), registro de operações de balcão e de financiamento de veículos e imóveis.

A B3 foi criada em março de 2017 a partir da combinação de atividades da BM&FBOVESPA, bolsa de valores, mercadorias e futuros, com a CETIP, empresa prestadora de serviços financeiros no mercado de balcão organizado. Essa combinação consolidou a atuação da Companhia como provedora de infraestrutura para o mercado financeiro, permitindo a ampliação do leque de serviços e produtos oferecidos aos seus clientes e a criação de eficiências para a Companhia e para o mercado.

Nos mercados de produtos listados em bolsa, a B3 desenvolve, implanta e provê sistemas e serviços de negociação e pós-negociação (compensação e liquidação) de ações, derivativos de ações, financeiros e de mercadorias, títulos de renda fixa, títulos públicos federais, moedas à vista e commodities agropecuárias. Também oferece o serviço de listagem e de depositária central para os ativos negociados em seus ambientes, bem como oferece os serviços de licenciamento de softwares e índices. Sua atuação nesses mercados requer investimentos constantes em infraestrutura tecnológica, controle e gerenciamento de riscos das operações, que assegurem o funcionamento dos mercados de maneira eficiente e segura.

Para os produtos não listados que são negociados por meio de operações bilaterais no mercado de balcão, tais como instrumentos financeiros emitidos por bancos e derivativos customizados, a B3 oferece a infraestrutura para registro dessas operações pelos participantes do mercado.

Adicionalmente, por meio de sua unidade de financiamento de veículos e imóveis, a Companhia oferece produtos e serviços que aceleram o processo de análise e aprovação de crédito em território nacional, tornando o acesso ao financiamento fácil, ágil e seguro.

Além de primar pela excelência operacional, tecnológica e de gestão de risco, a B3 exerce o papel de fomentar os mercados em que atua por intermédio de inovações e desenvolvimento de produtos, além de programas de educação para a população.

A B3 é uma sociedade de capital aberto, cujas ações BVMF3 são negociadas no Novo Mercado — segmento em que as empresas assumem compromissos de melhores práticas de governança corporativa — e integra os índices Ibovespa, IBrX-50, IBrX e Itag, entre outros.

Com sede em São Paulo e unidades no Rio de Janeiro e Alphaville, também possui escritórios de representação nos Estados Unidos (Nova York), no Reino Unido (Londres) e na China (Xangai), para oferecer suporte aos participantes desses mercados nas atividades com os clientes estrangeiros e no relacionamento com os órgãos reguladores, além de divulgar seus produtos e práticas de governança a potenciais investidores.

Histórico

A origem da B3 remonta a trajetória das principais instituições brasileiras de infraestrutura para operações do mercado de capitais e financeiro, e reflete, sobretudo, o desenvolvimento do próprio mercado e regulações.

Em março de 2017 a BM&FBOVESPA SA - Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros, uniu as suas atividades com as desenvolvidas pela Cetip SA – Mercados Organizados e passou a operar sob o nome de B3.

Atualmente, além de ser a única bolsa de valores, mercadorias e futuros em operação no Brasil, também é a maior depositária de títulos de renda fixa da América Latina e maior câmara de ativos privados do País.

Para saber mais sobre o histórico das empresas que deram origem à Companhia, leia as seções abaixo:

 
BM&FBOVESPA S.A. – Bolsa de Valores Mercadorias e Futuros

Em 8 de maio de 2008, foi aprovada a integração das atividades da BM&F e da Bovespa Holding, dando origem à BM&FBOVESPA S.A. – Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros, que já nasceu como uma das maiores bolsas do mundo, em termos de valor de mercado. Para saber mais sobre a BM&F e a Bovespa Holding, acesse o Capítulo 7 do Formulário de Referência da Companhia.

Com um modelo de negócios totalmente verticalizado e integrado, a BM&FBOVESPA passou a atuar na negociação e na pós-negociação de ações, títulos e contratos derivativos, divulgação de cotações, produção de índices de mercado, desenvolvimento de sistemas e softwares, listagem de emissores, empréstimo de ativos e também central depositária. Os sistemas da Companhia possibilitaram a realização de operações de compra e venda de ativos (principalmente ações), transferência de riscos de mercado (hedge), arbitragem de preços entre mercados e/ou ativos, diversificação e alocação de investimentos e alavancagem de posições, o que contribuiu para o crescimento econômico brasileiro.

Alguns eventos e iniciativas merecem destaque na trajetória da BM&FBOVESPA. O primeiro deles é o relacionamento com o CME Group, cujo principal fruto foi a cooperação tecnológica entre as duas empresas, que resultou no desenvolvimento de uma nova plataforma eletrônica de negociação multimercado e multiativos para derivativos, ações, câmbio e renda fixa, batizada como PUMA Trading System. Essa plataforma, desenvolvida a partir da tecnologia do CME Group, entrou em operação nos mercados de derivativos e câmbio pronto (Segmento BM&F) em 2011, nos mercados de ações e derivativos de ações (Segmento Bovespa) no primeiro semestre de 2013, e nos mercados de renda fixa privada em julho de 2014.

Outro projeto transformacional é o da nova Clearing BM&FBOVESPA, apresentado ao mercado em conjunto com o novo sistema de cálculo de risco CORE. Essa nova plataforma integrará as infraestruturas de pós-negociação dos diferentes mercados em que a BM&FBOVESPA atua. Essa nova infraestrutura já está em produção no mercado de derivativos do Segmento BM&F desde agosto de 2014 e deve ser implantada nos mercados de ações e renda fixa corporativa em 2017.

Além disso, em 2014, a BM&FBOVESPA concluiu a construção de um novo data center localizado em Santana de Parnaíba, o qual hospedará a infraestrutura da Companhia de forma mais eficiente e robusta, além de estar pronto para suportar seu crescimento futuro.

Em abril de 2016, os Conselhos de Administração da BM&FBOVESPA e da Cetip aprovaram os termos financeiros para a combinação das operações das Companhias. Esses termos serviram de base para as propostas que foram submetidas e aprovadas pelos respectivos acionistas em assembleias gerais extraordinárias realizadas em 20 de maio de 2016.

Em março de 2017 a combinação dos negócios da BM&FBOVESPA e da Cetip foi aprovada pelos órgãos regulatórios competentes: Banco Central, Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Para mais informações sobre o histórico da BM&FBOVESPA acesse o Capítulo 7 do Formulário de Referência da Companhia.

 
Cetip S.A. – Mercados Organizados

Criada por demanda do próprio mercado financeiro, por meio da constituição de uma entidade sem fins lucrativos envolvendo participantes do mercado de renda fixa privada com o apoio do Banco Central, a Cetip foi instituída em 1984, começando a operar em 1986.

A desmutualização da Cetip Associação foi aprovada em maio de 2008 tornando-se efetiva em 1º de julho de 2008. Com isso, a companhia deixou de ser uma instituição sem fins lucrativos para se tornar uma sociedade por ações com fins lucrativos.

Esse processo também levou à incorporação da ANDIMA SND, tornando a Cetip detentora única dos direitos sobre o Sistema Nacional de Debêntures (SND), inclusive contratos e ativos intangíveis, além da marca Sistema de Distribuição de Títulos (SDT).

Após a desmutualização e reorganização, a Cetip abriu capital em outubro de 2009.

No final de 2010, a Cetip adquiriu 100% do capital social da GRV Solutions, sociedade responsável pelo processamento e pela custódia das informações de transações de financiamento de veículos. Com a transação, a Cetip dobrou de tamanho e ganhou capacitação para atuar também nos segmentos de crédito ao consumo, suporte às operações de crédito e fornecimento de informações e soluções para quem concede crédito.

Em julho de 2011, a ICE Overseas Limited, empresa do grupo Intercontinental Exchange (“ICE”), um dos maiores operadores de bolsas globais, ingressou no capital da Cetip, dando início a uma parceria nas áreas de posicionamento estratégico e tecnologia. Também em julho de 2011, a Cetip, em parceria com a Clearstream - subsidiária da Deutsche Börse e líder global na área dos serviços de colateral -, passou a disponibilizar o serviço de collateral management.

Em maio de 2012, a Cetip apresentou ao mercado o Cetip | InfoAuto Pagamentos, produto que automatiza e agiliza o processo de validação da garantia das operações de financiamento de veículos. Em agosto de 2012, ocorreu o lançamento oficial do Cetip | Trader, uma plataforma eletrônica voltada para a negociação de instrumentos de renda fixa que foi desenvolvida em parceria com a ICE.

Em junho de 2013, ocorreu o lançamento oficial do Cetip | Plataforma Imobiliária - Gestão de Garantias (“Plataforma Imobiliária”), primeiro produto desenvolvido pela Cetip para gerar eficiência, agilidade e redução de custos no processo de crédito imobiliário.

Em abril de 2016, os Conselhos de Administração da BM&FBOVESPA e da Cetip aprovaram os termos financeiros para a combinação das operações das Companhias. Esses termos serviram de base para as propostas que foram submetidas e aprovadas pelos respectivos acionistas em assembleias gerais extraordinárias realizadas em 20 de maio de 2016.

Em março de 2017, foi aprovada a combinação dos negócios da BM&FBOVESPA e da Cetip pelos órgãos regulatórios competentes: Banco Central, Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Para mais informações sobre o histórico da Cetip acesse o Capítulo 7 do Formulário de Referência da Companhia.


 

Última atualização em